Um Golpe de Dada

Um Golpe de Dada


Meu depoimento

 

Há reparo a ser feito sobre o título. Paródia de Mallarmé, Un coup de Dés..., meu "poema" deveria ir direto para o título Um Lance de Dada. Mas o chamei Um Golpe de Dadá. Golpe me pareceu mais apropriado para a influência de dada na arte.

Como em quase tudo que faço, a insatisfação ou as ideias mais adiante, renovam o espirito da coisa sem alterar sua alma. Bons exemplos são NÓS em suas multiplas versões, POESIA eVENTO em diversos formatos, cada um respirando ares diferentes sem perder o folego... e quase todos os outros.

Um Golpe de Dadá nasceu POE Da Da  (poe de poema) em 1975 feito a maquina de escrever . (Achei bom que Poe estivesse aí) Não lembro bem como foi isso mas acabo de receber do pesquisador Vinicius Spricigo essa versão, achada provavelmente em algum arquivo alemão onde andou trabalhando. Aqui essa versão acompanha a última versão, impressa em grande formato, junto com a versão que publiquei em Rebusteia, e o modo como o expus, lado a lado com Vaso di Ombrelli, manifestamente dadaista, em Caminhos do Visível, exposição de 2010 na Casa Galeria.

Vaso de Ombrelli é o golpe de dada.

Gabriel Borba, 2019

Conjunto da Obra

Rebusteia

Um Golpe de Dada

POE DA DA, 1975

Maquina de escrever, 29.70 X 10.50

Série / Coleção: Um Golpe de Dada

POE DA DA

Meu depoimneto

 

Recentemente, 2019, achei uma cópia (foto) da primeira versão do que daria no conjunto que tenho chamado de Um Golpe de Dada.