Limiar do Visível

 

Limiar do Visível

Meu depoimento

 

Entre 2008 e 2009 voltei à leitura de Haykais, então em inglês. Havia conhecido a produção recente de Norte Americanos e Ingleses e interessou-me essa mudança do kanji para a palavra. Da imagem para o texto. Texto que se reconduz, no leitor, imagem, como dizer? não sólida?.

Coisas assim:

 

lighting the fire

those firstflames

catching last year's news

                    Jackie Hardy

 

ou:

 

by firelight

listening to the silence

of things we can't see

                 Larry Gross

 

E  isto:

 

log fire

turning in the flames

my watched thoughts

        Caroline Gourlay

 

(isso lido diante da lareira. Noite fria...)

 

Ideia fascinante: produzir desenhos pesadamente delicados. Materialidade acentuada  -furos no papel; fios; aquarela. Títulos em alguns casos, com remissão a imagens retidas na memória.

 

A um conjunto de que essa coleção é segmento, a curadora Carmen Aranha chamou Papeis: Caminhos do Visível diante da delicada visibilidade da maioria das suas imagens. Limiar do Visível saiu-me durante as conversas com as curadoras Carmen Aranha e Loly Demercian que organizavam uma exposição em que esses desenhos figuraram.

Gabriel Borba, 2016

 

 

 

 

Conjunto da Obra

Limiar do Visível

Bruit de Guerre d'après Rameau

Bruit de Guerre d'après Rameau, 2010

Impressão fio de nylon e aquarela em papel, 29.70 X 21.00 X 0.00

Obras, Séries e Coleções: Limiar do Visível