Pequeno Mobiliário Brasileiro

Pequeno Mobiliário Brasileiro, 2019

Curador: Francisco Salas

Galeria PM8

Rúa Pablo Morillo, 8, 36201 Vigo, Pontevedra, Espanha

+34 986 43 43 33

Meu comentário

 

A Galeria PM8, sob curadoria de Francisco Salas, traz para sua sede o projeto Pequeno Mobiliário Brasileiro recentemente apresentado na exposição Picasso, Le temps des Conflit do Carré D'Art em Nimes, França.

Apresentado à sua época em cópia heliográfia, como de hábito em projetos de design e arquitetura, terá nessa mostra seus originais em papel vegetal tal como apresentados em Nimes, desta vez acompanhado de estudos que o precederam e de dois protótipos elaborados pela Galeria PM8 que enriquecem e esclarecem o procedimento adotado na transformação de estruturas visuais em estruturas físicas, escopo deste projeto, como mostra a Galeria PM8

 

Press release da Galeria

Gabriel Borba quis com este projeto criar 5 estruturas especificamente feita a partir de algumas figuras apresentadas em Guernica  de Pablo Picasso, um projeto que  ajudou a pensar sobre como transformar uma estrutura visual em uma física. De modo que as cadeiras do Pequeno Mobiliário Brasileiro se materializassem em recipientes para estes angustiados e feridos personagens que habitam a famosa pintura de Picasso.

Pequeno Mobiliario Brasileiro foi a continuação de uma pesquisa anterior que começou nos tempos de Universidade de Gabriel Borba, formalizada em 1969-1970 na forma de algumas estruturas criadas para a apresentação de seu trabalho de graduação.

O artista fez 5 painéis, nos quais desenhou [segundo níveis de representação diferentes] o desenvolvimento completo dessas 5 cadeiras ou estruturas até seu resultado final. No primeiro estágio de cada painel aparece reproduzido um personagem da pintura Guernica. Em baixo do desenho inicial se vê diferentes desenhos feitos a partir de outros artistas históricos que podem também terem influenciado Picasso como Poussin. Há também importante referência ao artista brasileiro Cândido Portinari [artista conhecido no Brasil nos anos 40 e 50 do século XX que foi também reconhecido como representante da cultura regional popular. Uma de suas pinturas reproduzida no primeiro painel retrata um enterro dramático]. Em seguida no que pode ser considerado como o terceiro nível se vê figura de Picasso [no jeito de Gabriel] sentada ou assentada em uma cadeira ou estrutura, e finalmente chegamos ao desenho técnico que é o desenho final da cadeira. Cada painel tem a estrutura de um projeto de arquitetura, Gabriel é arquiteto e sua prática artística é também informada pelo seu estudo arquitetônico. 

Na exposição estão em exibição os painéis originais apresentados na Bienal de Paris de 1977 com alguns protótipos dessas cadeiras [especialmente produzidos para esta mostra] que nunca foram exibidos antes [de fato muito mais um exercício intelectual experimental do que funcional]. Estes protótipos recém-construídos serão apresentados junto com outra documentação original deste trabalho  de importancia histórica e política de 1977.

Gabriel sempre foi muito impressionado pelo Guernica, pintura que era um ícone perfeito do sofrimento e da dor humanos causados pela guerra e por conflitos políticos. Seu interesse aumentou  no tempo em que ele voltou ao seu país [depois de estudar nos EEUU, Itália e França] onde ele encontrou e encarou um regime ditatorial e repressivo. O que é fascinante sobre o Pequeno Mobiliário Brasileiro é que não é apenas uma derivação formal desses objetos significativos e especiais mas como um importante histórico e político trabalho torna-s uma nova fonte para a criação e a pesquisa sob o contexto de privação de liberdade.

Pequeno Mobiliário Brasileiro foi mencionado em uma crítica do crítico austríaco Otto Hahn na revista francesa L’Express Magazine.

PM8 Galeria, 2019

 

 

Conjunto da Obra

Arte ou Similar

Pequeno Mobiliário Brasileiro

Arte ou Similar, 1970

Série / Coleção: Arte ou Similar