In Contextu

In Contextu, 1980

Exposição individual

Gabriel Borba in Contextu

Meu depoimento

 

Paulo Figueiredo foi um bom e paciente amigo. Relacionei-me com sua galeria de város modos. Dei cursos, apresentei Vilém Flusser para uma série de palestras, eram três, se bem me lembro, e em anos nenhuma exposição. Não sei bem como chegou a hora e eu pedi que me permitisse uma coisa pequena,  intimista e de curta duração que foi resolvida com meus papeis "conceitualistas", como dizem, de Pequeno Mobiliário e Jaula da Anta, passando pelos hoje chamados Gestorte  Numeration; Mutações; Qualidade; toda Rebusteia; Cancela. .. em quantidade que encheu duas paredes da pequena sala do piso superior da Galeria na Rua Bela Cintra. No centro da saleta uma mesa, tábua sobre cavalete, com trabalhos de amigos, de mesmo interesse. Na memória poderiam ter estado lá Julio Plaza, Amelia Toledo, Mario Ishikawa, Regina Siveira, Ubirajara Ribeiro e tantos outros, soretudo os paticpantes da publicação On Of .

Uma exposição que ficou sem documento. Apenas o bilhetinho que fiz como convite e alguma história a contar. A mais tocante e que me comoveu foi a  mensagem carinhosa que Hervé Fischer deixou escrita em uma lousa  na entrada da saleta. E a ele, Hervé, recorri para lembrar, ao menos a data do evento. 

Eis nossa corespondência entre 25 e 30 de maio de 2020:

 

Gabriel Borba: Cher Hervé, en ce moment, je travaille sur mon site et je monte une exposition que j'ai faite et je sais que tu l'as visitée. Le problème est que je ne connais pas l'année. Sachant que tu étais là, je te demande si toi tu te souviens de ta voyage à São Paulo entre les années 70 et 80. Je te remerci 

Gabi

Hervé Fischer: Cher Gabi,

Je suis venu en 76 et en 80.

Je me souviens d’avoir visité ton expo. Mis je ne sais plus laquelle de ces deux années.

Salutations

Hervé

  • GB: Cher Hervé, merci pour l'information. La seule chose dont je me souvienne de cette exposition, c'est que tu as écrit un message sur le tableau noir qui était là et que j'ai vraiment aimé. Mais, pauvre moi, je ne me souviens pas des mots.

Il était l’anné 1980.

Ton frère,

Gabi

HF: Alors il faut que je réinvente les mots. Qd l’expo sera sur ton site, dis-le moi.

Et en voilà d’autres:<image0.jpeg>

Hervé 

GB: Certes Hervé. Ta proposition est très bienvenue et je te propose de l’étendre  jusq'a publié dans mon site notre correspondence, après la présentation qui existe déjà, avec les beaux tweets arte qui sont venue ensamble. 

Après tout, comme tu pourrais voir, la exposition s'appele Gabriel Borba In Contextu et il avait au millieu de la sale une grosse table avec les travailles des mes amies les plus chére. On la ‘remake’ ... avec ton travail. Je te fais mon "contextu''.

Dis-moi si c'est une bonne idée.

Gabi

HF: Prezado Gabi,

Eu revisitei o seu site. Será com muito prazer, se você citar nossos intercâmbios e as tweets artes que eu lhe enviei. Aqui está outro.

Amizade.

Hervé

HF: J'aime beaucoup cette définition de l’oeuvre d’art que je te propose:

Amitié

Hervé

GB:  Salve Hervé.

Recebi mais este. E gostei. Lembro bem do Julio Plaza declarando que “Arte é um bem que faz mal”

Aviso você quando começar a colocar no site nossa correspondência que explicará o motivo da sua presença. Farei de modo que você poderá recusar ou pedir alterações em alguma coisa.

Abraço

Gabi

HF:Obrigado, Gabi. Tenho boas lembranças do Julio Plaza e da Regina Silveira. Eu gosto dessa linha que você citou. Em seu site, você faz o que quiser. 

Saudações de amizade.

Hervé

 

           

          

 

           

 

 

          

   

 

HF.Obrigado, Gabi. Foi um grande prazer revisitar o seu site concluído com as nossas trocas. Que maravilha poder nos comunicar tão amigavelmente e tão rapidamente apesar da distância entre Quebec e o Brasil e da pandemia que nos impede de tomar o avião. Essa facilidade de uso digital - e há também o horror digital - promove o desenvolvimento da nossa "consciência aumentada", planetária e em tempo real, graças ao tecno-humanismo que subjaz ao nosso hiper-humanismo: mais humanismo graças à multiplicação dos nossos hiperlinks.

Hervé

 

Conjunto da Obra

Em Quatro Desentende-se Melhor

Figura

Gestörte Nummeration

Hino dos Vencidos

Jaula da Anta

Nós

Obras esparsas

Pequeno Mobiliário Brasileiro

Rebusteia

TRÄMA

Transparências

Um Golpe de Dada

O Estado das Coisa (indicação direta III), 1979

colagem, 65.00 X 46.00 X 0.00

Série / Coleção: O Estado das Coisas

O Estado das Coisas

Meu depoimento

 

Jornais estavam censurados e não disfarçavam. Artigos vetados pelo censor, sob a alegação que a edição estava pronta, eram substituídos ora por mancha preta, ora  por texto alternativo, pura gozação, como poesia clássica ou receita culinária. 

Via constantemente a artimanha e, sobre a primeira página do O Estado de São Paulo, diário muito combativo, registrei O Estado das Coisas. Alusão ao titulo daquele periódico, estado como unidade da federação, substituído por estado como sinônimo de condição.

Gabriel Borba