6ª JAC Jovem Arte Contemporânea

6ª JAC Jovem Arte Contemporânea , 1972

Curador: Walter Zanini

6ª JAC

 

O Museu de Arte Contemporâne da Universidade de São Paulo promoveu em 972, um salão de arte sem qualquer espécie de seleção. Uma planta do espaço foi produzida dividindo-o em pequenos lotes dos mais variados formatos. Um sorteio os didtribuiu entre os muitos presente com a condição de ocupa-los segundo um plano a ser elaborado e seu andamento declarado com preenchimento de fichas impressas no verso do cartaz, fazendo parte da regra trocas, compras e vendas de lotes.

Não tendo sido sorteado, recebi em doação, um lote comprado por Radha Abramo, critica de arte e curadora, de alguém que passava por lá, um curioso que tinha sido sorteado.

Minha participação consistiu em pedir documentos do ocorrido, recibo da venda, certificado de doação e autorização do diretor da casa e  levar esses documentos a outros orgãos burocráticos pedindo certificações de várias espécies que, por sua vez, demandavam novos documentos tais como Atestado de Residênciatas, Atestado de Idoneidade Moral e demais.

A isso acrescentei títulos, selos e outros elementos, muitos deles falsificados com LetraSet, para permitir o ingresso em mais um escritório burocrático. O último que consegui, mediante ligeira falsificação, foi um cartão que me nomeou Artista Profissional. 

Todos esses documentos fantasiosos foram juntados  em uma pasta de processo burocrátio, ordenados segundo a peça A Exceção e a Regra de Bertold Brecht. Tirados 10 exemplares de edição em fotocópia.

Gabriel Borba, 2019

Conjunto da Obra

PGU 666 ou Artista Profissional