POESIA eVENTO

POESIA eVENTO

Meu depoimento em novembro 2018

 

O uso de letras e sinais gráficos foi uma constante no que fiz. Como imagem ou como título e muitas vezes o meu s.t. (sem título) implica algum nível de significação.

 

O que tem chamado muita atenção é a versão S8, 1975, de POESIA eVENTO.

A primeira versão foi feita em Genebra, na casa de Jean Otth em VT que se perdeu. Com cinzas da lareira da noite anterior, manhã nevada,  escrevi sobre a neve a frase POESIA eVENTO e gravei até que o vento a fizesse desaparecer.

De volta a São Paulo quis repetir a coisa em um tapete de rua, daqueles de Corpus Christi, mas o padre responsável pela festa pediu-me que não fizesse porque a intenção era colecionar metáforas sagradas

Perdi a maquete que apresentei com a imagem em carvão sobre areia. Foi pena pois pretendia repetir a experiência suíça filmando a maquete

Acabei por fazer o S8 com desenhos de estúdio, meticulosamente planejados. Contei com musica composta por Victor Flusser que regeu o Coral da ECA USP.

 

Além do S8 há uma versão em slides, encadernado em um álbum confeccionado manualmente, junto com Operador, outra peça em slides.

Uma versão pintada em vidro não deu muito certo na ocasião e a refiz mais tarde com recorte de vinyl.

Gabriel Borba

 

Conjunto da Obra

POESIA eVENTO

Transparências