Mandinga

Mandinga

Meu comentário

 

Uma vez um curador e diretor de Museu pediu-me que fazesse uma nova peça para mostrar em um exposição de "Obras Novas". Acontece que eu era funcionário da instituição e achei que me apresentar seria antiético. A feroz insistência incomodou-me muito. Naquela noite, a caminho de casa, parei no bar de um amigo  e, muito aborrecido, contei a ele o que estava acontecendo. O cara que era artista e ligado às práticas do candomblé, com ironia sossegada como era seu jeito, ocupado com copos no balcão, disse:  "por que você não faz uma mandinga?"
Eu fiz.

É preciso dizer que eu já tinha feito outras antes, por diversão ou para ver como seria, na aparência, quero dizer.
Algumas delas se tornaram muito estilosas no espírito "afro-descendente", outras compostas de elementos que eu já havia usado antes como ponto cruz ou tachas e fios
Gabriel Borba 2004

Conjunto da Obra

Mandinga

Mandinga I

Mandinga I, c.2004

Tecido madeira fio de lã, 20.00 X 100.00 X 100.00

Série/Coleção: Mandinga