bord

bord

Meu depoimento, fevereiro 2014/2019

 

Ocorreu-me que a figura que usei em NÓS, de 1975, cabe inserida na figura da letra d. Espelhado é um  b desse modo pode-se dizer que o d é um não b.

Em inglês, be or not be.

As anotações dessa reflexão foram desenvolvidas sobre as imagens que registraram NÓS (performance) e geraram outras, como o Untitled (Nós), pertencente à KADIST Collection, onde figura com esse título, ou Nós em Azul e Ponto Cruz, pertencente ao MACS, Museu de Arte Contenporânea de Sorocaba, São Paulo.

Com a ajuda de Mallarmé, Un coup de dés jamais n'abolira le hasard, (pg 3 último verso) compus bord. Poema visual, como dizem

 

Em paralelo andei mais longe e imaginei sete movimentos em S8, de 7segundos cada, dos quais fiz 2 e tenho um terceiro inacabado. Dei o nome de Ou para marcar a passagem de uma a outra variação de b ou d.

 

Claro, a elaboração do conjunto é mais complicada que isso e contei com as animadas conversas com Vilém Flusser, de quem era assistente na época, sobre Macbeth e Hamlet.

 

A primeira sequência, bord é uma reflexão pessoal sobre a possível ligação entre "to be or not to be", Shakspeare e "penché de l'un ou l'autre bord", Mallarmé.

 

bird, segunda sequência, liga-se à peça MacBird, 1966, de Barbara Garson uma ativista norte americana, politicamente a esquerda. É preciso dizer que à época ativistas clamavam por uma nova ordem mundial, a “Era de Aquario”. Miiltavam por direitos humanos e contra a Guerra do Vietnan. Conviviam com planos do governo para lançar homens à lua, o que aconteceu em 1969 e com o assassinato do presidente Kenedy em 1963. Seu sucessor, Lyndon Johnson era casado com a sociality Claudia Alta Johnson, de apelido Lady Bird. Enormemente empoderada, Lady Bird metia-se no Congresso e, dizem, influenciava decisões do marido presidente. Em um discurso antibelicista, em Berkeley, California, Barbara Garson mencionou a primeira dama nomeando-a Lady MacBird numa alusão ao casal MacBeth de Shakeaspeare. A partir daí escreveu a peça Mac Bird parodiando o Bardo de Stratford –upon-Avon (gosto da proximidade sonora bardo/bord)

A autora nega, peremptoriamente, qualquer alusão à morte de Kenedy ter sido encomendada por Johnson, por influência de sua mulher.

Na edição Grove Press, de 1966/67 a primeira das 8 ilustrações, de autor não identificado, mostra sem dúvida, caricatura do casal Johnson.

 

A paródia é marcante:

"Fair is foul and foul is fair

Hover through the fog and filthy air"

(MacBeth ato I, cena I)

 

"Fair is foul and foul is fair

Hover through stale and smoke-filled air"

(Mac Bird ato I, cena I)

 

O inacabado bed me ocorreu assistindo uma encenação de MacBeth, durante a cena I do ato V.

Por influencia da mulher, MacBeth mata Duncan para sucede-lo. Lady MacBeth sozinha no palco em penumbra, sem cenário ou som, esfrega freneticamente as mãos como se as lavasse e sussura: “There’s knocking at the gate. Come, come, come, come. Give me your hand. What’s done cannot be undone.—To bed, to bed, to bed”  (cena I, ato V. pg 3 em sparknotes). To bed é sonoramente muito próximo de too bad

 

Comecei a sequência bed e a deixei inacabada em função de outros projetos que ocuparam tempo e equipamento.

Gabriel Borba.

Conjunto da Obra

bord

b or notb

b or notb, c.1999

inserção sobre foto, 0.00 X 0.00 X 0.00

Série/Coleção: bord

Figura

Nós