Gabriel Borba Filho (São Paulo 1942)

Gabriel Borba vive e trabalha em São Paulo onde graduou-se em Arquitetura na Universidade de São Paulo. Tornou-se um dos pioneiros da Video- Arte nos anos 1970 e com sua produção em multimedia participou da 10ª bienal de Paris (1979) e da 16ª Bienal de São Paulo. Seus trabalhos figuram nas coleções permanentes do Museu de Arte Contempornea da Universidade de São Paulo (onde exerceu o cargo de Diretor de Museografia nos anos 1990 a 2012); no Museu de Arte Moderna de são Paulo,; na pinacoteca do Estado de São Paulo; no MoMa em Nova York; no Centro Pompidou em Paris ; no Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona e outras coleções.

Começou a experimentar com vídeo no começo dos anos 1970; criou livros de artista, instalações e performances.

Trabalhou como assistente do filósofo Vilém Flusser e foi um dos fundadores da Cooperativa Geral para Assuntos da Arte em 1974 e da Cooperativa dos Artistas Plásticos de São Paulo em 1978.

Foi diretor da Divisão de Artes Plásticas do Centro Cultural São Paulo em 1984 e 1985 e Diretor da Divisão de Museografia do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo de 200 a 2012

Atuou, também, como consultor da Empresa Metropolitana de Planejamento, São Paulo, durante o ano de 1987.